27 janeiro 2013

autolove

Tive que chegar muito cedo pra garantir aquele lugar em frente ao palco. Fiz a minha parte, me preparei e fiquei debaixo de chuva, de guarda-chuva, de vento e de tempo. A gente sabe quando vai ouvir algo que precisa ouvir.

O Kid nesse sentido é uma fuga. Eu perco o sono e choro sei que quase desespero mas não sei por que. Daí volto a eles com uma sede imensa de me sentir compreendido. E sei que é algo inerente a mim. Vejo Paula do alto dos seus 50 anos cantar “Fixação” sem muita distância da Paula teen que escreveu a canção. A gente apenas sabe quando a trilha vai se reciclar pois não é apenas para um momento.

Fiquei na expectativa de saber como me comportaria quando estivesse de frente pra essas canções, ali de graça, ao vivo na praia de Barra de São João. Uma sequência enorme de hits batidos que a gente canta no videokê, mas se lembra certinho de tudo o que passou com eles.

Veio mais chuva, mais vento, mais hits. Desde que estamos aqui, eu não quero saber. E pelo visto eu estou dentro desse universo. Da lama à pista, a vida é besta. Minha educação sentimental pode não ser das melhores, mas os sentimentos todos que eu queria expressar já estão nos versos dos clichês, dos lados-B e até em alguns solos de guitarra que – contrariando a letra - me conquistam logo de cara.

Pedro.
x