03 abril 2012

domingo no parque #103

após um fim de tarde de não entender nada e me frustrar, fui pra um começo de noite no mesmo tom: garrafa de jurupinga, problemas na cabeça, indefinições. somado a minha usual capacidade de não entender o tempo das coisas, passei mal.

cheguei na Gambiarra passando mal e não sabia. é o tal do nó na garganta quando a gente sabe que tem coisa acontecendo e ainda não chegou lá.

ignorei as músicas, fiquei perto de poucos, fui levando a noite ao lado do meu mais novo amigo Kléber, o Kébi, bartender do Open Bar que me prepara flambados e me fornece a melhor conversa da noite.

a tormenta começou quando resolvi ir embora. logo na minha chegada, foi terrível. me senti indesejado, fiquei com vontade de voltar pra casa - e não a minha de São Paulo. fiquei com saudade de R.O.

uma segunda feira digna, com pé esquerdo. uma Gambiarra perdida.

Pedro.
x