01 janeiro 2012

doze uvas, sete ondas

acredito:
na ponte aérea
nos estudos necessários
na calma que eu tenho que ter e não tenho
que vou encarar a cidade de cara limpa
nas noites sem sono
no emprego próximo
no amor que se sustenta
nos amores que se lembram
nos erros que ocorrem
na amizade construtiva
na espiritualidade e na fé
na poesia
na música
no cinema
no teatro
na literatura
no infinito

não acredito:
em errar pra justificar outros erros
em movimentos e bandeiras
na unilateralidade
na simplificação do mundo
em religiões
em tudo que leio na internet
em tudo que vejo na tv
em tudo que ouço na rádio
nas nêuras que tenho antes de pensar
em tudo que reluz e diz ser ouro
que eu fique sem armadura contra eventuais sobressaltos do coração

isso dito, bem vindo, 2000 e doce.

Pedro.

x