12 novembro 2011

take five

think of Cassie of Skins saying: "lovely".

Voltei pra casa. Vim tratar da minha cuca. Pensar em umas coisas, repensar outras, ficar junto e me sentir seguro perto de pai e mãe num feriado que não poderia se passar em Rio das Ostras. Minha cabeça não me deixaria dormir. Mas aqui eu consigo.

Hoje foi calmo, apesar das andanças. Fui assistir ao show do Jeneci no Parque Villa-Lobos. E reforçou o karma de que ele foge de cantar pra mim: cheguei no fim do show após ter andado bons 40 minutos com Paah, da estação Pinheiros até o parque. Garanti vê-lo e autografar meu cd (o único que ficou faltando da temporada de shows de verão desse ano).

Voltei pra casa, aqui estou. Cabeça feita, visão na estrada. Só penso na minha irmã. Quase sempre fico perto de chorar. É uma daquelas condições torturantes e inaceitáveis pra mim que ela fique triste.
Chateada? Vá lá. Um pouco amuada? Acontece com todo mundo. Magoada? De tempo em tempo é inevitável. Mas triste, eu prefiro trocar os papéis. Topo todas. Não consigo. E no fim das contas é comigo também e continua sendo com ela.

Estou confortável, seguro e feliz por estar em casa e triste, chateado, preocupado por tudo isso.

Espero que a gente possa rir disso tudo o mais breve possível.

Pedro.
x