14 julho 2011

filho de deus, meu irmão

solto comigo no meu quarto, ele fica junto, perto. percorre meu ombro, atravessa as pernas. sabe que não está mais em casa e que tem a liberdade pra isso. para um tempo, me olha bastante, com aquela contemplação momentânea que embora seja passageira é a mais profunda de todas. o que pensa nesse vacilo? é inquieto demais pra se deixar aprofundar nessa divagação, me deixa com dúvidas na cabeça. volta pra cima de mim.

vê que eu estou lendo um livro, por cima do meu ombro. mostro a ele minha parte favorita, tentando despertar algum interesse. não dá muita importância. mas ainda se mantém próximo por saber ser importante pra mim. até rói uma ponta do meu romance pra saber se é bom, mas nunca o livro todo.

volta pra casa sozinho por vontade própria. tá com fome, tá com sede e quer tomar banho, sem falta.

hoje é um dia comum. os dias que eu não durmo correndo atrás dele são apenas dois na semana. e não podem ser dois dias seguidos.

te amo, Paahncakes.

Pedro.
x