28 julho 2011

então me diz

me proíbo de escrever da mesma forma como me faço escrever.
mas o coração tá apertado e a madrugada está alta demais pra eu me conter.
Lembro das folhas em branco e de como elas me resolvem, sem análise, sem me conter.
Calibro dois ou três pensamentos curtos pra caber num texto breve e já estou pronto pra me derramar em páginas e mais páginas que terão que esperar pelo menos até o fim de Julho pra surgirem na minha vida e no histórico do blog.

assim como o corpo pra voltar pro ambiente.
assim como a cabeça pra voltar pros planos.
assim como o coração pra voltar pra estrada.

tem seu tempo.

Pedro.
x