23 julho 2011

domingo no parque #86

Domingo no parque #

Bom de estar em Sampa é poder ver as grandes Gambiarras, onde tudo acontece, a produção é grande e vira e mexe acontece uma em que todos querem estar. Foi o caso dessa.
Uma semana antes anunciaram a presença do Olodum na The Week, bastou. Sabia que minha

irmã e Márcia iriam, mas não esperava que até a minha mãe quisesse ir!

O dia chegou e com ele a ansiedade. Mais tarde o esquenta regado a cerveja e tequila (essa foi exclusividade minha que estava muito na vibe). Começou a ficar divertido demais, muito de repente. Aquela sensação de bagaceira e de que a noite vai passar rápido. A fila mais longa que eu já vi na The Week, a lotação estava garantida.

Ficamos eu, minha irmã, Márcia e Márcio no camarote quase o tempo inteiro, até chegar o Olodum. Eu vaguei um tanto, tentei encontrar meus amigos (em vão). Nada parava. Até eu descobrir que quem não parava era eu – e nem poderia. Ok, hora de parar antes que seja tarde.

O pior de estar bêbado e perdido é que todo mundo te olha e sabe a sua condição. Isso causa certa revolta. Um grito de “get a life” saiu e foi esse o maior barraco da noite.

Corta pro show do Olodum que não foi o show da Timbalada e me deixou na mesma que o DJ convidado e esse foi o fim da Gambi pra mim. Fui embora com minha irmã e cheguei às 5h em casa. Inédito ainda mais pelo meu grau etílico. That’s what they call growing up.

Topei ir embora por N motivos que minha cabeça fez fazer sentido, mas principalmente por que eu sabia que aquela Gambi ainda não era a MINHA. O meu domingo estava bem guardado e sem ter ido em nenhum nas férias inteiras, eu teria que correr atrás para recuperá-lo.

Pedro.
x