19 maio 2011

tente passar pelo que estou passando

O meu amor observa as palavras que eu falo quando eu falo. Através da minha voz, do meu dizer. Não é através de qualquer canto (por mais bonito que ele seja). E eu me gratifico com a resposta que ouço.

O que eu digo é complemento do que eu sinto. Ouço sons, ouço rimas (ou não), me traduzo através desses momentos. Tudo acontece em acordes, tempos, up tempos, seja como for: eu reproduzo em vídeo, letra e som pra chegar ao tal ponto de ter alguma resposta. Aquela, a mais sincera, de quem vai me aguardar entre os tons que existem por mim.

A graça é saber que eu não preciso fugir de mim. Ele não gosta de tudo, mas gosta de mim. E gosta de eu ser assim, sempre sonoro, eloqüente, gritando janela a fora quando me der na telha. Talvez nunca saiba como isso me traduz, talvez sim.
O meu amor quer esse desse jeito. E eu o quero daquele. Completo.

Pedro.
x