07 abril 2011

pra mim isso nunca foi pecado

Não dá pra esquecer que essa vida que a gente segue e compartilha no twitter ou no Facebook onde tudo é como tudo deve ser, não existe. Não dá pra se apegar a isso. Mesmo em São Paulo onde se pode tanto, ainda não é a realidade. A Flavia Durante não é uma realidade, embora eu queira tanto que as coisas que ela quer sejam reais também, a vida como ela vê e espera. Ela percebe muitas vezes o mesmo problema e a solução que eu, uma vez que ainda estamos no mesmo mundo. Desse modo vivemos os dois esperando essa realidade desabar sobre os homens enquanto encaramos absurdos.

Quando aparece um Bolsonaro na televisão aberta e se manifesta como ele fez, a secound life dessas redes vira um turbilhão e parece que todos estão unidos e todos tem conhecimento que racismo é errado, homofobia é errado e que a submissão da mulher não é viável e nunca foi. Mas morre ali justamente por isso: NÃO É REAL.

Não duvido de movimentos de internet, pelo contrário, acredito e muito. Mas pensar que ali se representa o Brasil é um erro grave. A agendinha de contatos, o carógrafo, os 140 caracteres ainda são limitados e não representam o Brasil tão múltiplo como ele é de verdade, quando só o trigo chega à nossa tela e a gente pensa que o joio nem existe mais pra ser separado. Pois existe.

Portanto se me perguntarem de Bolsonaro no Brasil ou McCain nos EUA não me abala mais. Se o mundo não é redondo pra todo mundo ainda, vamos vivendo-o dessa forma onde e quando puder até todos se darem conta.

Pedro.
x