01 abril 2011

e outras alegrias

Pensando esses dias em dois discos que tenho ouvido muito: "Bicicletas, bolos e outras alegrias" de Vanessa da Mata e "Fé na festa" de Gilberto Gil, seriam o mesmo disco?
Sonoramente sim. Vanessa traz na base musical o baião ("Bolsa de grife"), o reggae ("As palavras") em uma brejeirice muito doce ("Bicicletas bolos e outras alegrias" e "Moro longe"). É a base sonora mais marcante do disco de Gil do início ao fim, sendo um disco que volta para ritmos como o xote e o forró.

Há na linguagem de Gil, uma mistura de feira urbana, com acento nordestino que é o mesmo de Vanessa (nesse disco especialmente).

Alguns temas também se repetem. É o caso de "O tal casal" e "O livre atirador e a pegadora" que, cada um da sua forma, falam de um casal urbano - livre.

Os dois também têm músicas de aniversário: "Dia 26" de Gil e "Meu aniversário" de Vanessa. Cada um discorrendo como passam o dia do nascimento.

E o que dizer do “Norte da saudade” de Gil que diz:
“Vou pra quem vai me ver noutra cidade
No norte da saudade quero ver meu bem”.

Que casa perfeitamente com “Moro longe” de Vanessa:
“Porque eu moro longe, no fim do mundo
Se eu for aí, faça valer a pena”

Parece coisa combinada.

Além de serem grandes discos de 2010 onde há a volta de um grande Gilberto Gil e a retomada das boas composições de Vanessa sem o exagero populista do disco "Sim".

Digo isso terminando de ouvir os dois agora, em sequência, e antes de escrever o texto eu não tinha reparado que a última música de ambos os discos é uma parceria de Gil e Vanessa. "Lá vem ela" do Fé na Festa e "Quando amanhecer" no Bicicletas, bolos e outras alegrias são ótimas parcerias. As duas conquistam na primeira audição.

Os semelhantes que mostram a formação de Vanessa e o retorno de Gil são mais que uma recomendação são uma parada obrigatória. Inéditas boas, leves, ligeiras e apaixonadas.
Não me canso de ouvir.

Pedro.
x