22 abril 2011

e o que você quer? orientação

me sentindo de lado. agora deprime. e eu sinto. insegurança, pensamentos etc.
tanto tempo depois isso ainda é o básico. comunicação.

não precisa de um grande momento. uma reply, uma dm, um oi no mural. algo além de ficar lacônico. de me ver e eu te ver entrando mudo e saindo calado, basta. existe muita forma de dizer em poucas palavras o essencial que eu precisaria ouvir pra poder seguir. mas não, me deixa na dúvida, na incerteza, nos meus terríveis e férteis pensamentos.

estava tudo certo e agora está tudo errado. alguém sacudiu o globo e o menino de dentro tomou um caldo desse tsunami da chegada. já compreendo que algumas vezes eu tenha que ser o segundo plano (mesmo que por algumas horas). está certo, você está certo. e mesmo assim já abriu mão do trabalho por mim, por que soube balançar as importâncias. eu não entro mais na questão trabalhista, e entendo a importância dela.

é comigo.
eu que não tenho nada que te deixe de segundo plano mesmo temporariamente. nada que me impeça de chegar onde você estiver sem pestanejar. não tenho que ter um trabalho ou eu não vivo. eu tinha a gambiarra, mas até ela se foi. tenho a faculdade, que driblo quando posso e quando não posso. entende?

são diferenças.
você é diferente de mim.
e segundo uma menina muito sábia, compreender essa diferença e conseguir viver com ela é um grande passo.

Pedro.
x