08 outubro 2010

ela se foi, saudade

Para ler ouvindo: Saudade dela (Roberto Mendes/Nizaldo Mendes)


Voltar pra casa, pela segunda vez em 70 dias e a primeira imagem que me vem na cabeça novamente é a de nós, completos. Mas na verdade não estamos mais, falta ela.

Minha vó foi uma figura. Gente daquelas que não se faz mais, não cabe mais nesse mundo. Pode perguntar a quem quiser. E mesmo no cotidiano corrido e nas eventuais brigas (poucas, muito poucas), eu sempre me senti um neto privilegiado pela presença dela em casa.

Como ela viajava muito, comigo sempre fica a impressão de que ela ainda está viajando. Mas como eu também estou numa viagem, a primeira pessoa que me remete é ela e o fato de ser difícil encarar uma estrada com a lembrança e mais difícil ainda, voltar pra casa. Um lance de parar na porta pra tomar coragem pra entrar.

E eu estou aqui, num ônibus de viagem, indo pro Rio de Janeiro, na parada de Niterói (onde ela também tem uma amiga pra vida inteira, pra variar!), lembrando da canção: "é preciso ser valente".

Vou tomando coragem pra encarar mais uma vez essa realidade do mundo que perdeu um pouco da cor, do sentido, da vontade.

Pedro.
x