16 setembro 2010

todo dia é dia de viver

Nessa quinta feira sem aula por motivos de seminário desinteressante, resolvi aparecer na faculdade pra colocar meu nome em alguma palestra desinteressante e conseguir um certificado que não me deixaria mais interessante. Mas a UFF ainda guarda suas surpresas na manga e essa veio pra me tentar. Uma certa Juliana Medeiros que eu conheci outro dia num almoço informal veio me informar que havia uma vaga pra mim no concorrido microônibus da UFF que partiria sábado para Ouro Preto, para o Encontro Nacional de Estudantes de Arte (ENEARTE).

Lógico que eu não lembrava da lista e não tinha em mente uma viagem de uma semana pra Minas pra participar de um seminário que eu nem ao menos sei do que se trata.

(Pausa)

Contras: as inscrições para o seminário haviam acabado; eu não tenho dinheiro; tenho prova na semana seguinte; pode não ser boa idéia.

Prós: eu conseguiria atestado de horas mesmo sem o seminário; eu poderia pedir dinheiro; eu não estudei pra prova/prova substitutiva; pode ser uma ótima idéia.

Daí veio uma voz, uma canção, um mantra. Era Caetano dizendo: “coragem grande é poder dizer sim”. E sem muito pensar, eu disse sim. E aqui estou eu, convivendo com esse “sim” e com essa certeza de que não ter certezas é tudo o que me resta daqui pra frente.

Wish me luck!

Pedro.
x