04 setembro 2010

Domingo no parque #64

Domingo no parque

#2 anos de PROGRESSO na casa

A Gambiarra pode ser em Brasília, Nova York, Rio de Janeiro, Tókio... Nenhum lugar terá a familiaridade que tem uma boa Gambi de domingo em Sampa. A original que guarda toda a essência que transformou meus domingos em algo que eu não consigo mais me imaginar sem.

Fui acompanhado do Rapha Montes, um dos novos viciados cariocas, mas logo tive que me perder (ou me encontrar) entre tanta gente que eu tava morrendo de saudade.

Tava tudo lá: a portaria, pessoas, músicas, palcos, os hits, a bagaceira, o foda-se, as 4 da manhã quando quem trabalha cai na pista, as performances, as canções que o duende toca pra mim (who do you think you are?) e em especial, o aniversário do Gabriel, a Puta, meu Petit.

Por estar bem enferrujado, não consegui ficar até o café da manhã, mas a noite foi tão tradicional quanto é todo domingo. Teve prólogo e epílogo. Parece uma história. É uma história. E nesse mês eu completo 2 anos dentro desse livro.

Pedro.
x