19 setembro 2010

coração de estudante parte 2

Não sei como dormi, mas acordei.

Domingão de sol, dia de vagar por igrejas, caminhos, praças. As ruas e os caminhos que traçamos em grupo já bastariam para carregar um pouco de história na viagem.
Minas carrega um peso histórico muito grande. Em alguns lugares de Salvador é assim também, a história viva na sua frente. Mas as distrações são muito grandes na Bahia. Aqui não, é a história viva! Aqui se vive da história em todas as estações, um museu ao ar livre. Por isso a cidade é tombada.


Mas andar pelas ruas de Ouro Preto já tem um diferencial. O esquema turístico existe, mas é diferente também. Não é Rio, não é Bahia.

Hoje depois de andar, fomos a um show de Soul da banda Soul Rebels que aconteceu no festival de Jazz de Ouro Preto. Tocaram de tudo no maior ânimo. Até Beyoncé! Percebendo minha animação, um dos vocalistas me deu uma medalha!

Agora me preparo para invadir de bicão uma festa na república. Beber de graça depois do trabalho feito é comigo mesmo.

Terça feira os museus voltam a abrir e volto a descobrir. Hoje fui a igreja de São José, o qual eu tenho uma certa devoção.
Não me preocupo muito em fotografar, até por que pouquíssima coisa pode ser fotografada. A cidade é tão densa na história que às vezes esqueço da vida observando certos detalhes que não estão nas placas, nas explicações de guia mas no olhar.

Agora tem festa na única república mista e federal, Arte & Manha.

Wish me luck!
=)

Pedro.
x